Análise: eFootball PES 2020 marca um golaço na disputa de simuladores de futebol - BetaQuest

Análise: eFootball PES 2020 marca um golaço na disputa de simuladores de futebol


O momento mais esperado do ano para todo fã de games e de futebol finalmente chegou: o lançamento da nova temporada dos simuladores. E o jogo que inaugurou a série de 2020 foi o recém-batizado eFootball Pro Evolution Soccer 2020, ou simplesmente PES mesmo. Essa foi a nossa escolha para esse ano. Será que ele valeu a pena?

O novo game da Konami chega com moral alta após uma versão demo muito elogiada pelos fãs e das falhas cometidas pelo rival FIFA 19. E o jogo japonês traz um ponto extra para nós, que é o foco no público da América do Sul, em especial do Brasil. PES 2020 realizou o sonho de todo jogador de Bomba Patch: jogar um Brasileirão mais completo, com séries A e B e jogadores licenciados.

E não posso negar que o trabalho realizado pela Konami com a Série B do Brasileirão foi muito bem feito. Minha primeira partida foi justamente um jogão entre Botafogo de Ribeirão Preto e São Bento de Sorocaba. As caneladas, passes errados e chutes na arquibancada fizeram jus ao campeonato. Brincadeiras à parte, a presença da Série B foi uma das minhas maiores expectativas em relação a esse jogo, por conta da Master League, meu modo de jogo preferido.

Foto: Divulgação/Konami

Novos gráficos estão lindos de se ver. A reprodução de estádios e novas cenas são muito bem trabalhados. As faces de jogadores famosos são representações fidedignas. Cores, iluminação, saturação e contraste estão melhores. Um ponto positivo e um negativo para o Brasil: por um lado, temos o maior número de estádios no game, somando nove ao total, todos eles réplicas idênticas; por outro, os rostos de jogadores brasileiros ainda são meio deixados de lado. Os novos menus podem confundir um pouco, mas é questão de costume.

A jogabilidade em si é bem próxima ao que vimos na demo, ou seja, o PES 2019 com seus ajustes e um ou outro retoque. O ritmo não está tão cadenciado quanto na versão de testes, mas nada que comprometa a jogabilidade ou incomode. A principal mudança, e que ainda estou me acostumando, é o sistema de passes.

Essa mudança também foi um dos pontos mais destacados na demo. Agora, os passes são mais difíceis de realizar e exigem mais precisão. A defesa, por sua vez, segue a linha costumeira do PES, com um pouco de choque de ideias entre os zagueiros, mas um resultado que pode se tornar bom no fim da jogada.

Foto: Divulgação/Konami

Master League

Esse, já adianto, é o modo pelo qual sou apaixonado desde a minha era de Winning Eleven. Assumir um time, fazer contratações e disputar as partidas sempre me agradou. Esse modo foi o que ganhou mais atenção em PES 2020. Mas ele já começou me desagradando um pouco.

E foi justamente uma das adições mais comentadas que me deixou chateado: selecionar um treinador já pronto entre grandes lendas do futebol mundial. Senti falta de criar meu próprio personagem (uma das adições do FIFA 20, por sinal).

Fazer contratações ficou mais complexo. Agora, você não sabe mais qual a porcentagem de chances de sucesso da sua oferta. Ao invés disso, o assistente dá dicas como "a oferta não chamou a atenção do time" ou "temos grandes chances de conseguir". E o nível de sua equipe no ranking também parece influenciar muito mais. A equipe que escolhi foi o poderosíssimo Oeste de Itápolis Barueri. Recebi muitas negativas por comparações entre os times.

Ver Diego Maradona, nossa escolha de treinador, dando entrevistas e recebendo jogadores foi, ao mesmo tempo, surreal e interessante. O sistema de escolhas nas conversas é legal de interagir, mas ainda não consegui sentir a reais mudanças que uma ou outra escolha têm na torcida, na diretoria ou nos jogadores. Talvez elas tenham maior efeito futuramente durante a carreira.

Foto: Divulgação/Konami

Vale a pena?

Não podemos negar que a Konami se esforçou bastante para trazer um jogo mais atrativo. A manutenção das licenças sul-americanas, a adição da Série B do Brasil e as novas parcerias com Juventus, Manchester United, Bayern de Munique e a Serie A italiana mostram que a desenvolvedora quer aumentar o catálogo de times disponíveis.

Os retoques na jogabilidade conseguem trazer pontos positivos para o game sem comprometer novas áreas. Os gráficos são inegavelmente mais bonitos (me arrisco a dizer que melhores que o da demo de FIFA 20). A Master League repaginada perde a personalização, mas ganha um novo desafio nas contratações.

O único ponto que pode render críticas é o modo online, deixado um pouco para escanteio. O MyClub é basicamente o mesmo de antes, o eFootball ainda apresenta alguns problemas de conexão e balanceamento de partidas e o Match Day não é tão atrativo.

eFootball PES 2020 chega com muitos pontos positivos, algumas pontas ainda soltas, mas uma construção que consegue atingir todas as expectativas de uma demo bastante elogiada. Quem já é fã de PES vai adorar. Quem ainda não gosta muito da franquia, essa é a oportunidade de se apaixonar.

eFootball PES 2020

Konami (2019)



9.4


Gráficos: 9.5
Jogabilidade: 9
Diversão: 10
Som: 9.3

Revisado por:

João Pinheiro

Tecnologia do Blogger.