Superman: em suas oito décadas o super herói já esteve presente em diversas mídias - BetaQuest

Superman: em suas oito décadas o super herói já esteve presente em diversas mídias

Foto: Reprodução
No dia 18 de abril de 1938 chegava às bancas a primeira edição da revista em quadrinhos Action Comics e, com ela, a primeira aparição de um dos personagens mais marcantes para história da cultura pop, o Super-Homem.

A figura do Homem de Aço serviu de modelo para dezenas de personagens que vieram após sua criação e montou a base para o paradigma de herói que conhecemos hoje em dia. Em 2018, o herdeiro de Krypton completou 80 anos, repleto de grandes sucessos, falhas e uma legião de fãs.

Um dos maiores super heróis de todos os tempos é fruto de um desejo de justiça e do gosto de moda de dois jovens quadrinistas do início do século passado. Joe Shuster e Jerry Siegel se conheceram na cidade de Cleveland, no estado de Ohio. A química entre os dois logo floresceu devido ao gostos semelhantes que eles possuíam. Dessa união surgiu uma grande ideia e uma grande figura.

Foto: Reprodução

Jerry Siegel foi o responsável por imaginar os primeiros conceitos do Super Homem. Quando criança, ele teve que enfrentar uma grande perda com a morte de seu pai, assassinado durante um assalto. Os culpados pelos crime nunca foram pegos.

No entanto, em sua imaginação o jovem conseguiu criar uma figura poderosa o suficiente para impedir que outra tragédia acontecesse novamente, pelo menos no mundo dos quadrinhos. Foi então que ele contou suas ideias para seu amigo Joe Shuster. Outro jovem à época, Shuster era um artista e halterofilista fã de revistas do tema e dos trajes de musculação justos. Ele foi o responsável pela aparência e pelos primeiros traços do Super-Homem.

Com uma grande química e gostos parecidos, eles tentaram vender o projeto para uma editora de quadrinhos, mas não tiveram êxito. Durante anos, o personagem ficou às sombras até que ele passou por uma repaginação e, finalmente, ganhou alguns de seus traços mais conhecidos hoje em dia. Com uma capa, um uniforme azul e vermelho, e um  “S” estampado no peito, o herói conseguiu espaço em sua primeira revista.

Foto: Reprodução

Ao fim de todo o processo de criação o público pôde conhecer a história e a persona por trás do Escoteiro Azul. Filho do planeta extinto, Krypton, Kal El foi enviado à Terra por seus pais biológicos, sendo resgatado e adotado pelos fazendeiros Jonathan e Martha Kent. Foi adotado e batizado pelo casal como Clark Kent. Mais tarde, em decorrência de sua criação e de poderes advindos de um sol amarelo, ele passou a lutar contra o mal e tornou-se um símbolo de paz e esperança.

Suas primeiras histórias deram início à chamada “Era de Ouro dos quadrinhos". Com o passar dos anos, a mitologia do herói foi modificada e novos elementos, como vilões e aliados, foram adicionados às novas edições de seus quadrinhos. No entanto, é quase impossível que um jovem ou um adulto não conheçam sua história.

Disputa na Justiça


Ao contrário do que se imagina, Jerry e Joe não tiveram um retorno financeiro positivo como se esperava. Os dois autores acabaram vendendo todos os direitos relacionados ao personagem junto com a primeira história.

Esse negócio impediu que eles recebessem todo  lucro potencial com os produtos no mercado. Logo eles entraram com ações reclamando os direitos do personagem dentro do âmbito legal. Os dois negociaram valores com editora National Comics, mas não chegaram a nenhuma proposta que realmente os agradasse.

Foto: Reprodução

Quase duas décadas mais tarde, ambos reiniciaram a luta por sua obra. Com uma campanha de apelo popular, eles queriam contar ao público como haviam sido tratados pela editora. Possivelmente preocupados com a campanha, o setor relacionado a quadrinhos da indústria Warner resolveu conceder aos dois uma pensão anual no valor de 35 mil reais. A partir desse momento, o personagem foi devidamente creditado à dupla em todas as obras em que figurava.

Grandes Histórias


Considerado um dos maiores super heróis de todos os tempos, o Super-Homem já participou de incontáveis histórias. Ele já enfrentou perigos do espaço, desafiou vilões na zona fantasma, batalhou lado a lado com outros heróis e até já desafiou Muhammed Ali. Porém, entre todas as fábulas de seu panteão, existem algumas que merecem destaque:


  • A Morte do Super- Homem

Foto: Reprodução

Escrita em 1993 por Dan Jurgens, essa história abalou o mundo dos quadrinhos ao finalmente mostrar que mesmo o herói mais poderoso da Terra poderia ser derrotado. Nela conhecemos o vilão Apocalypse, um monstro vindo do espaço, que enfrenta o Super- Homem em plena Metrópolis. O  desfecho da luta resulta na morte de ambos e, a partir desse ponto, vemos como o mundo passa a lidar com a ausência de seu maior protetor.

A premissa dessa história veio como uma maneira de tentar recuperar a atenção para o personagem, que vinha perdendo a popularidade na época. Essa medida causou grande repercussão e chegou a ser divulgada em veículos jornalísticos.


  • Grandes astros 

Foto: Reprodução

Produzida por Grant Morrison, Frank Quitely e Jamie Grant em, essa HQ  revisita os primórdios do herói e mostra com extrema ternura porque ele é um símbolo de esperança.

Nesse conto o público acompanha um Super-Homem que descobre que vai morrer após absorver uma grande quantidade de energia solar. Então, ele decide que irá tentar ajudar o mundo da melhor maneira possível até que a hora chegue. Para isso, ele revisita um grande número de personagens que marcaram sua existência, tanto amigos quanto inimigos.


  • Reino do Amanhã

Foto: Reprodução

Nessa clássica HQ, ilustrada por Alex Ross, o Super Homem não é o único protagonista. No entanto, grande parte da trama gira em seu entorno.

 A história retrata uma Terra, no futuro, povoada por superseres. Eles se auto proclamam heróis mas não demonstram nenhum respeito com a população que os cerca. Nesse, contexto, uma nova ameaça se aproxima e a única esperança para salvar o mundo está nas mãos de um velho e aposentado Super-Homem e seus antigos companheiros.

Outras mídias


O Homem de Aço já foi protagonista de outras mídias, entre elas, video-games, livros e vestuários, mas o ambiente em que ganhou maior destaque foi nas telas de televisão e cinema. O personagem foi interpretado por dez atores diferentes ao longo de suas oito décadas de existência.

Entre os nomes mais famosos estão os de Christopher Reeves na memorável quadrilogia de filmes (1978- 1987) , Tom Welling da série “Smallville” (2001-2011), Dean Cain em “Lois & Clark: As novas Aventuras do Superman” (1993- 1997) e, mais recentemente, Henry Cavill em “ Homem de Aço” (2013) .  Além disso, foram produzidas algumas animações com o personagem, como “ The New Adventures of Superman” (1966), “The New Batman? Superman Adventures” (1997), “Superman” (1998) e “Liga da Justiça” (2001).

Foto: Reprodução

Ao longo dos anos, diferentes autores trabalharam com a figura do Super Homem. Seus poderes sempre vastos foram modificados e ampliados. Mas entre a super força, a visão de calor e a invulnerabilidade, é o seu coração que ganha destaque, como uma das referências para os seus sucessores.Assim, talvez os ideais da década de trinta tenham se alterado mas o desejo de um mundo melhor, que começou há 80 anos ainda vive no coração de milhares de fãs. Em um mundo repleto de injustiças, hoje, as pessoas ainda seguem a figura de um Super Homem.


PEDRO FONSECA

Fã de super-heróis desde criança, sou um nerd/otaku convicto. Também curto esportes, video-games, filmes, séries, música e livros. Meu objetivo é evoluir sempre, por isso, entrego a vocês o melhor de mim.
Tecnologia do Blogger.